Páginas

terça-feira, 9 de agosto de 2011

24 doses de você


Eu já tomei 23 doses de você, por que não tomar a vigésima quarta dose do seu amor?
Já disse, eu não me canso. A fonte não seca e eu, eu não me calo.
Sabe, são vinte e quatro doses.
Só de pensar quão bêbada eu já fiquei. Mas quer saber? Eu nunca tinha ficado tão sóbria.
Nunca em minha vida houve tanta lucidez.
Não vejo mal algum em beber o que é meu por direito. É meu, entende?
Não toca, não trisca. É só meu.
Uma única dose, e pronto. Todo o estrago foi feito.
Aqui dentro, tem esfacelos seus, meus. É que tá tudo tão junto. Não dá pra separar.
Não dá pra desgrudar de mim o que é meu. Só meu.
Pode me chamar de gulosa, de alcoólatra, de egoísta. Dê o nome que quiser.
No meu dicionário isso tem outro significado. No meu dicionário, o nome disso é zelo.
Amor, cuidado. Proteção.
São vinte e quatro copos. São duas garrafas.
São vinte e quatro doses de muito amor.

3 comentários:

  1. "Mais uma dose? É claro que eu tô afim" ♪

    Retribuindo a visita ;D Parabéns pelo blog camila, gostei muito do que vi por aqui.

    Fique em paz!
    Seu,
    Bruno Carvalho

    ResponderExcluir

palavras não ditas: